• 27 a 29
    de março de 2019

  • Hotel Monte Real Resort - Águas de Lindóia - SP

Cursos

Os Cursos são simultâneos e serão realizados em dois períodos no dia 27/03 sendo o 1º período das 09h00 às 13h00 e o 2º período das 14h00 às 18h00.

Assistência Farmacêutica na Atenção Básica: acesso e cuidado

Assistência Farmacêutica na Atenção Básica: acesso e cuidado 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

O aprimoramento da Atenção Básica (AB), obrigação dos municípios em todo o país, colocanos o desafio constante de repensar a Assistência Farmacêutica (AF) como uma política de suporte às ações desenvolvidas nesse âmbito, para que o tratamento farmacológico seja resolutivo e racional e atenda às necessidades dos usuários.

A articulação da AB, por meio das Redes de Atenção à Saúde (RAS), determina que a AF se organize de tal forma que o cuidado farmacêutico, para além do serviço de distribuição e dispensa de medicamentos, seja integrado ao cuidado multiprofissional.

Assim, o curso apresentará o tema de como os profissionais responsáveis pela AF no município podem colaborar para a estruturação dessas redes. Para tanto, abordará os conceitos de segurança do paciente, epidemiologia clínica, adesão ao tratamento, farmacoeconomia, saúde baseada em evidências, farmacovigilância e adoção de protocolos clínicos e, como estes podem ser aplicados na prática e na resolução dos problemas na AB.

  • Coordenadora - Dirce Cruz Marques

    Coordenadora - Dirce Cruz Marques

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidado - Elton da Silva Chaves

    Convidado - Elton da Silva Chaves

    Assessor Técnico do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS)

Atenção Básica: Processo de Trabalho e Financiamento

Atenção Básica: Processo de Trabalho e Financiamento 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

Os Congressos do COSEMS/SP sempre priorizaram a temática da Atenção Básica (AB) considerando que ela está presente em 100% dos municípios e tem papel fundamental na garantia do acesso universal, na integralidade do cuidado e na organização da rede da atenção à saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Este ano, particularmente com a mudança no Ministério da Saúde (MS) e no Departamento da Atenção Básica (DAB) torna-se imperioso discutir com os gestores federais as prioridades em relação à AB nos municípios. O mesmo acontece em relação a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES/SP) com mudança de secretário e equipe.

O curso deve possibilitar conhecer e discutir as prioridades do DAB nesse inicio de Governo, e conhecer o “estado da arte” da proposta de informatização das UBS pelo MS e as propostas de SES/SP.

Parte da carga horária será destinada à exposição de experiência de gestão da AB em município paulista.

  • Coordenadora - Aparecida Linhares Pimenta

    Coordenadora - Aparecida Linhares Pimenta

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidado - Allan Nuno Alves de Souza

    Convidado - Allan Nuno Alves de Souza

    Coordenador Geral de Acompanhamento e Avaliação do Departamento de Atenção Básica da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde

Contratualização em Saúde

Contratualização em Saúde 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

Para garantir acesso integral com qualidade da atenção à saúde, a gestão municipal está amparada pela Constituição Federal, no seu artigo 199, em buscar na iniciativa privada contratação ou contratualização de Ações e Serviços de Saúde, de forma complementar, quando sua rede de serviços própria for insuficiente para atender a necessidade da população da área de abrangência sob sua responsabilidade.

A participação da iniciativa privada deve se dar através da celebração de vínculos formais, entre gestores e prestadores de serviços de saúde, em que são definidos, de forma clara, os compromissos quantitativos e qualitativos na prestação de serviços, respeitando aspectos legais, administrativos e/ou financeiros, com mecanismos de controle por parte do gestor.

Nesta perspectiva, apresenta-se como desafio para a gestão municipal construir planos de trabalho, parte integrante dos instrumentos formais de contratação, com ofertas de ações e serviços expressas nos diferentes instrumentos de planejamento da gestão municipal. Além disso, torna-se importante conhecer e definir mecanismos efetivos de fiscalização e regulação do contrato para garantir o cumprimento e a revisão sistemática dos serviços contratados.

  • Coordenador - Edivaldo Alves Trindade

    Coordenador - Edivaldo Alves Trindade

    Coordenador Executivo de Avaliação e Controle da Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara

  • Ariana Gameiro

    Ariana Gameiro

    Chefe do Departamento de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde de Santos

Educação Permanente: COAPES, estratégias para educação à distância e telesaúde

Educação Permanente: COAPES, estratégias para educação à distância e telesaúde 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

Entendendo Educação Permanente (EP) como estratégia político-pedagógica que toma como objeto os problemas e necessidades emanadas do processo de trabalho em saúde, e relaciona o ensino, a atenção a saúde, a gestão do sistema e participação do controle social, o Curso de EP propõe expor e dialogar sobre a integração ensino serviço; sobre ferramentas e tecnologias de informação e comunicação na área de saúde, bem como sobre a utilização de plataformas para a formação de profissionais através de Ensino à Distância (EaD).

  • Coordenadora - Solange Cristina Aparecida Vialle

    Coordenadora - Solange Cristina Aparecida Vialle

    Apoiadora do COSEMS/SP

  • Convidado - Jorge Harada

    Convidado - Jorge Harada

    Médico do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP e Ex-Presidente do COSEMS/SP

Estratégias de Apoio Matricial

Estratégias de Apoio Matricial 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

O Apoio Matricial é uma metodologia que sugere um funcionamento para o trabalho em rede, valorizando uma concepção ampliada do processo saúde doença, a interdisciplinaridade, o diálogo e a interação entre profissionais que trabalham em equipes ou em redes e sistemas de saúde.(CAMPOS, 1999; FIGUEIREDO & ONOCKO CAMPOS, 2009).

O curso pretende abordar as estratégias para a realização do Apoio Matricial, discutindo sobre os diversos arranjos possíveis para operar o trabalho em rede, compartilhando reponsabilidades e compromissos entre os profissionais para o enfrentamento dos problemas e para a produção do cuidado em saúde.

  • Coordenadora - Isabel Cristina Pagliarini Fuentes

    Coordenadora - Isabel Cristina Pagliarini Fuentes

    Apoiadora do COSEMS/SP

  • Convidada - Lumena Almeida Castro Furtado

    Convidada - Lumena Almeida Castro Furtado

Gestão Compartilhada da Rede de Cuidados em Saúde

Gestão Compartilhada da Rede de Cuidados em Saúde 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

A dinâmica do curso será participativa, incluindo trabalho em pequenos grupos e apresentações de experimentações em diferentes municípios, com o objetivo de debater estratégias para radicalizar a gestão democrática do SUS e ampliar sua legitimidade junto aos trabalhadores e usuários.

É no cotidiano do trabalho, favorecendo um encontro mais aberto e permeável de trabalhadores com os territórios, favorecendo a identificação compartilhada de problemas com a população e a construção conjunta de estratégias de enfrentamento dos problemas, que o SUS pode ampliar sua legitimidade, neste cenário dramático de restrição de financiamento e agravamento dos problemas sociais, que impactam diretamente na saúde da população.

Essa mudança de postura, que envolve construção compartilhada de sentidos e de ações, é fundamental para que não se estabeleça uma guerra entre trabalhadores e usuários, ambas as partes esmagadas pela precarização da vida e a escassez de recursos.

  • Coordenadora - Laura Camargo Macruz Feuerwerker

    Coordenadora - Laura Camargo Macruz Feuerwerker

    Professora Associada da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

  • Convidada - Débora Cristina Bertussi

    Convidada - Débora Cristina Bertussi

    Professora Doutora da Universidade Municipal São Caetano do Sul

Gestão Orçamentária e Financeira no SUS

Gestão Orçamentária e Financeira no SUS 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

O cotidiano da Gestão Municipal em Saúde hoje é marcado por duas questões permanentes: a escassez de recursos, que ameaça a sustentabilidade das ofertas municipais de saúde; e a temida complexidade do processo de execução dos gastos em ações e Serviços Públicos de Saúde que trava as engrenagens da gestão orçamentária e financeira. Cenário alvo de grandes esforços das gestões.

Aproxima-se no horizonte de 2019, a realização da 16ª Conferência Nacional de Saúde: principal fórum de participação do Sistema Único de Saúde (SUS). Técnicos, gestores, trabalhadores e usuários do SUS unidos para discutir e assegurar o sistema que queremos para o próximo ciclo orçamentário nacional e estadual. Convergiremos no curso para este foco, discutindo as nuances deste histórico processo de subfinanciamento e quais alternativas existem para consolidar o SUS, com destaque às perspectivas da Emenda Constitucional (EC) 95/2016 e ao novo modelo de financiamento federal ditado pela Portaria 3.922/2017.

  • Coordenadora - Mariana Alves Melo

    Coordenadora - Mariana Alves Melo

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidada - Áquilas Nogueria Mendes

    Convidada - Áquilas Nogueria Mendes

    Professor Livre-Docente em Economia da Saúde da Faculdade de Saúde Pública da USP e Professor Doutor do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Economia Política da PUC/SP

Integração dos Sistemas de Informação: CMD e e-SUS AB

27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

A partir do ano de 2015, o Sistema Único de Saúde (SUS) intensifica a sua proposta de integração e racionalização dos vários sistemas de informação existentes na assistência à saúde, ao propor a criação de um Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC), materializado na Atenção Básica (AB) pelo e-SUS-AB-PEC e nos outros níveis de complexidade pelo “e-SUS-Hospitalar/Ambulatorial/Urgência”.

Esta transformação dos prontuários eletrônicos (dos setores público, complementar e suplementar), hora em papel, em prontuários eletrônicos, constitui a base e a essência do novo sistema de informações em saúde do país, devendo o mesmo estar obrigatoriamente interligado a um mesmo Cadastro Nacional de Saúde (CNS), a um mesmo Cadastro Nacional de Estabelecimentos (CNES) e a um mesmo Repositório de Terminologias em Saúde (RTS) e estruturado de uma forma padronizada através de uma interoperabilidade tecnológica e semântica (SNOMED-CT).

  • Coordenador - Francisco Torres Troccoli

    Coordenador - Francisco Torres Troccoli

    Médico da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo

  • Convidado - Leandro Manassi Panitz

    Convidado - Leandro Manassi Panitz

    Coordenador Geral de Sistemas de Informação do Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde

Os órgãos de controle e a gestão municipal

Os órgãos de controle e a gestão municipal 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

Cada vez mais gestores municipais de saúde são demandados pelos diversos órgãos de controle, sejam eles internos a própria prefeitura ou externos.

Com o aprimoramento dos sistemas de planejamento, em especial nas fases de apreciação e deliberações dos Conselhos de Saúde, novos conhecimentos e habilidades são exigidos dos profissionais responsáveis.

O curso é destinado aos gestores e trabalhadores das Secretarias Municipais de Saúde responsáveis pela implantação e implementação dos Conselhos, monitoramento das diretrizes das Conferências de Saúde, implantação de ouvidorias da saúde, além dos responsáveis pelo acompanhamento do instrumento de planejamento e gestão exigidos pela atual legislação.

  • Maria Ermínia Ciliberti

    Maria Ermínia Ciliberti

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidado - Francisco Rózsa Funcia

    Convidado - Francisco Rózsa Funcia

    Economista, Consultor Técnico de Orçamento e Financiamento do Conselho Nacional de Saúde e da Fundação Getúlio Vargas

Planejamento em Saúde: PAS e RAG

Planejamento em Saúde: PAS e RAG 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

O curso discutirá o planejamento, enquanto instrumento de gestão, na perspectiva de uma gestão participativa, com definição clara de atribuições e responsabilidades dos diversos atores envolvidos. Nesse sentido, a elaboração dos instrumentos de gestão, seja o PMS ou a PAS, precisa envolver as diversas áreas no âmbito da gestão, com possibilidade de constituir um grupo de trabalho permanente de planejamento, que poderá se responsabilizar pela elaboração, monitoramento e avaliação dos instrumentos de gestão.

  • Coordenadora - Lidia Tobias Silveira

    Coordenadora - Lidia Tobias Silveira

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidado - Fábio Alves

    Convidado - Fábio Alves

    Secretário Municipal de Saúde de Itatiba

Política Nacional de Promoção da Saúde no cotidiano dos Municípios

Política Nacional de Promoção da Saúde no cotidiano dos Municípios 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

De que vale uma Política, necessária, pactuada, bem formulada e até financiada se ela não consegue ser implementada de maneira eficaz no município. Este é um tema universal e, cada vez mais, surgem pesquisas e artigos abordando dificuldades na implementação de políticas com uma instigante pergunta: “como explicar a lacuna entre aspirações de uma política e sua implementação?”. O nosso Curso será guiado por esta pergunta, analisando o caso da Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS). Não sabemos se vamos conseguir revelar totalmente o segredo contido nesta pergunta, mas a experiência dos gestores que se interessarem pelo Curso será crucial para dialogarmos sobre esta questão. Mas, como disse certa vez um amigo: “mais importante que as respostas é a pergunta propriamente dita”, pois ela nos afeta e nos estimula a desenvolver nossa curiosidade para perseguir sem trégua o enfrentamento de problemas na implementação de políticas. Acho melhor enfrentar do que resolver.

  • Coordenador - Marco Akerman

    Coordenador - Marco Akerman

    Chefe do Departamento de Práticas de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

  • Convidada - Rosilda Mendes

    Convidada - Rosilda Mendes

    Professora Doutora do Departamento de Políticas e Saúde Coletiva da Universidade Federal de São Paulo - Campus Baixada Santista

Política Nacional de Vigilância em Saúde no Lócus Municipal: gestão, financiamento e práticas

Política Nacional de Vigilância em Saúde no Lócus Municipal: gestão, financiamento e práticas 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

No curso de vigilância ocorrido no Congresso do COSEMS/SP, em 2015, foi oferecido na sua programação um debate sobre a perspectiva de uma Política de Vigilância em Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS). Transcorrido este tempo, a Política Nacional de Vigilância em Saúde (PNVS) é um fato concretizado, após a realização inédita, em todo território nacional, das conferências locais e regionais culminando na I Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, que ocorreu em fevereiro/março de 2018.

Assim, se impõe conhecer, analisar e se apropriar da Resolução n° 588, de 12 de julho de 2018, que institui a PNVS, especialmente também por ser este o ano da 16ª Conferência Nacional de Saúde, momento em que aspectos e diretrizes de vigilância devem ser debatidos. A Vigilância em Saúde, como política pública de estado e função essencial do SUS, foi reafirmada na Conferência Nacional e sua gestão é de responsabilidade exclusiva do poder público.

O curso deverá possibilitar aos participantes se apropriarem do conteúdo da PNVS, de modo a fazerem uma análise crítica da mesma e refletirem sobre as novas, ou já conhecidas, práticas ou processos de vigilância que podem contribuir com o SUS, de maneira a melhorar a qualidade de saúde e de vida da população.

  • Coordenadora - Brigina Kemp

    Coordenadora - Brigina Kemp

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidada - Márcia Reina

    Convidada - Márcia Reina

    Secretária Municipal de Saúde de Votuporanga

Práticas Integrativas e Complementares no SUS

Práticas Integrativas e Complementares no SUS 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

O curso visa oferecer aos gestores públicos a oportunidade de conhecer e refletir sobre estratégias inovadoras e eficazes para o Sistema Único de Saúde (SUS), assim como obter informações sobre modos de inclusão das PIC, especialmente no campo de aplicação da atenção Básica, uma vez que a PNPIC contribui para:

  • A promoção da saúde;
  • Articular e integrar o setor saúde com demais políticas públicas;
  • A prática do autocuidado;
  • Aumentar a capacidade resolutiva dos serviços de saúde;
  • Diminuir o uso abusivo e desnecessário de medicamentos;
  • Desenvolver modelos sustentáveis de atenção à saúde;
  • Promover o resgate da humanização das ações de saúde e
  • Trazer alegria aos serviços de saúde.

O Curso abordará como temas principais:

  1. Desafios Contemporâneos no Campo da Saúde – do Alternativo ao Integrativo
  2. Ferramentas de Autogestão do Stress e Autocuidado
  3. Pesquisa Científica em PIC
  4. Modelos integrativos de cuidado – como sensibilizar a gestão para as PIC
  • Coordenador - Emílio Telesi Júnior

    Coordenador - Emílio Telesi Júnior

    Coordenador da Área Técnica de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde - Atenção Básica da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo

  • Convidado - Ricardo Ghelman

    Convidado - Ricardo Ghelman

    Responsável pelo setor de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do Hospital ITACI do Instituto da Criança da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Programa Mais Médicos: provimentos, formação e residência médica

Programa Mais Médicos: provimentos, formação e residência médica 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

Antes do Programa Mais Médicos (PMM), prefeitos e gestores municipais da saúde tentaram, durante anos, solucionar problemas para contratar e fixar médicos nos municípios de regiões distantes. Muito desses municípios tentavam preencher suas vagas de diversas formas, mas sem sucesso e assim, muitas equipes estavam sem médicos há mais de um ano. Isto resultava na falta de acesso da população aos cuidados na Atenção Básica (AB), responsável pela resolutividade de quase 80% dos problemas de saúde da população que procura os Serviços de Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS).

Para enfrentar este problema, o governo federal, com o apoio dos governos municipais, criou o PMM, por meio da Lei 12.871/2013, para diminuir a carência de médicos em regiões prioritárias para o SUS, para redução de desigualdades regionais no atendimento das necessidades de saúde da população.

  • Coordenadora - Marcia Marinho Tubone

    Coordenadora - Marcia Marinho Tubone

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Larissa Marques Grisi de Lima

    Larissa Marques Grisi de Lima

    Referência Central do Ministério da Saúde para o Programa Mais Médicos no estado de São Paulo

Regulação em Saúde

Regulação em Saúde 27 de março de 2019 - 09:00 às 18:00

A Política de Regulação do setor saúde no Brasil vem sendo estruturada em consonância com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), de forma a viabilizar o acesso equânime e oportuno à atenção integral.

A regulação da atenção tem importante papel na conformação e operacionalização das Redes de Atenção, na medida em que busca favorecer o percurso do usuário pelos serviços ou pontos de atenção, utilizando normas e protocolos para orientar o acesso, definindo responsabilidades e disponibilizando informações relevantes para a tomada de decisões.

Assim, faz-se necessário o aprofundamento de alguns aspectos relacionados à implementação de práticas regulatórias a partir dos serviços de saúde, que contribuam na estruturação do modelo assistencial, bem como na conformação de redes de atenção e qualificação do cuidado.

  • Coordenadora - Elaine Maria Giannotti

    Coordenadora - Elaine Maria Giannotti

    Assessora Técnica do COSEMS/SP

  • Convidada - Daniela Guerra

    Convidada - Daniela Guerra

    Apoiadora do COSEMS/SP

Cursos Coordenador (a) Download
Assistência Farmacêutica na Atenção Básica: acesso e cuidado Dirce Cruz Marques
Atenção Básica: Processo de Trabalho e Financiamento Aparecida Linhares Pimenta
Contratualização em Saúde Edivaldo Alves Trindade
Educação Permanente: COAPES, estratégias para educação à distância e telesaúde Solange Cristina Aparecida Vialle
Estratégias de Apoio Matricial Isabel Cristina Pagliarini Fuentes
Gestão Compartilhada da Rede de Cuidados em Saúde Laura Camargo Macruz Feuerwerker
Gestão Orçamentária e Financeira no SUS Mariana Alves Melo
Integração dos Sistemas de Informação: CMD e e-SUS AB Francisco Torres Troccoli
Os órgãos de controle e a gestão municipal Maria Ermínia Ciliberti
Planejamento em Saúde: PAS e RAG Lidia Tobias Silveira
Política Nacional de Promoção da Saúde no cotidiano dos Municípios Marco Akerman
Política Nacional de Vigilância em Saúde no Lócus Municipal: gestão, financiamento e práticas Brigina Kemp
Práticas Integrativas e Complementares no SUS Emílio Telesi Júnior
Programa Mais Médicos: provimentos, formação e residência médica Marcia Marinho Tubone
Regulação em Saúde Elaine Maria Giannotti

DIAMANTE

  • Patrocinadores
  • Patrocinadores
  • Patrocinadores

OURO

  • Patrocinadores
  • Patrocinadores

PRATA

  • Patrocinadores

BRONZE

  • Patrocinadores
  • Patrocinadores
  • Patrocinadores
  • Patrocinadores

Realização

Realização
Realização

Organização e Hospedagem

Organização e Hospedagem