Em defesa do SUS




Estado de São Paulo vai antecipar a campanha de Vacinação da Febre Amarela

Estado de São Paulo vai antecipar a campanha de Vacinação da Febre Amarela

por assessoria da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES/SP)

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo reprogramou o início da campanha estadual de vacinação contra febre amarela para 25 de janeiro e término no dia 17 de fevereiro. O novo calendário amplia o período de duração para 24 dias de campanha e é resultado dos esforços da pasta para agilizar a logística e o treinamento das equipes, com a finalidade de proteger a população preventivamente.

Está mantida a meta de imunizar 8,3 milhões de pessoas ainda não vacinadas em 54 cidades, que compreendem áreas onde ainda não foi detectada a circulação do vírus.

Haverá ‘Dias D’ nos sábados 3 e 17 de fevereiro, data prevista para encerramento da campanha. Em ambas as datas, os postos de saúde dos municípios envolvidos estarão abertos em regime especial para atender a população.

A campanha acontece na Grande São Paulo, Vale do Paraíba e Baixada Santista, totalizando 53 cidades (confira abaixo a lista de municípios).

Em 40 cidades onde há concentração de mata, a população total será vacinada. Nos outros 13 municípios a vacinação será parcial, ou seja, para moradores de bairros com proximidade com áreas rurais, silvestres ou ribeirinhas. A estratégia de vacinação foi definida pelo CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica/Divisão de Zoonoses) e Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), levando em conta o risco em locais de concentração de mata.

Todos os recortes foram definidos por critérios epidemiológicos após análises técnicas e de campo feitas pelo CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica/Divisão de Zoonoses) e SUCEN (Superintendência de Controle de Endemias) em locais de concentração de mata.

A campanha será realizada com dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. O frasco convencionalmente utilizado na rede pública poderá ser subdividido em até cinco partes, sendo aplicado assim 0,1 mL da vacina. Estudos evidenciam que a vacina fracionada tem eficácia comprovada de pelo menos oito anos. Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período. As carteiras de vacinação terão um selo especial para informar que a dose aplicada foi a fracionada.

Quem já tomou uma dose da vacina, mesmo se fizer parte destes municípios incluídos na campanha, não precisará se vacinar novamente.  A vacina aplicada até o momento (dose padrão) tem validade para a vida toda, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

“Vamos reforçar nossas estratégias para proteger a população contra a febre amarela, antecipando a imunização ao levar as vacinas para locais onde ainda não há circulação do vírus. A campanha complementa um trabalho incessante de monitoramento e prevenção que temos desenvolvido nos dois últimos anos”, destaca o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

A campanha também prevê a oferta de doses convencionais, que serão disponibilizadas para crianças com idade entre nove meses e dois anos incompletos, pessoas que viajarão para países com exigência da vacina, grávidas residentes em áreas de risco, transplantados, e portadores de doenças crônicas – como diabéticos, cardiopatas e renais crônicos, por exemplo.

Deverão consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e de doença falciforme.

Não há indicação de imunização para grávidas que morem em locais sem recomendação para vacina, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide). Em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.

Nas demais áreas do estado de São Paulo onde já há vacinação em razão da circulação do vírus a imunização seguirá com a vacina plena.

Reabertura dos parques

O Horto Florestal, o Parque da Cantareira e o Parque Ecológico do Tietê, áreas verdes sob gestão estadual situadas na capital paulista, serão reabertos neste mês, conforme anunciado previamente pela Secretaria de Estado da Saúde. Mesmo assim, todos frequentadores deverão estar vacinados conta a febre amarela. Avisos com essa mensagem serão fixados nas entradas dos parques.

A medida será possível devido à redução de riscos de transmissão da febre amarela para humanos, devido às estratégias de vacinação realizadas nos bairros do entorno dos parques.

As unidades foram fechadas para ações preventivas de Saúde em 20 de outubro e 10 de novembro, respectivamente, com ênfase na busca de mosquitos e macacos infectados. Todo o trabalho foi realizado com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SMA) e do Instituto Florestal, assim como o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), autarquia vinculada à Secretaria Estadual de Saneamento e Energia (SSRH).

Municípios com aplicação fracionada da vacina

APARECIDA
ARAPEI
AREIAS
BANANAL
BERTIOGA
CACAPAVA
CACHOEIRA PAULISTA
CANAS
CAPITAL
CARAGUATATUBA
CRUZEIRO
CUBATAO
CUNHA
DIADEMA
GUARATINGUETA
GUARUJA
IGARATA
ILHABELA
ITANHAEM
JACAREI
JAMBEIRO
LAGOINHA
LAVRINHAS
LORENA
MAUA
MONGAGUA
MONTEIRO LOBATO
NATIVIDADE DA SERRA
PARAIBUNA
PERUIBE
PINDAMONHANGABA
PIQUETE
POTIM
PRAIA GRANDE
QUELUZ
REDENCAO DA SERRA
RIBEIRÃO PIRES
RIO GRANDE DA SERRA
ROSEIRA
SANTA BRANCA
SANTO ANDRÉ
SANTOS
SAO BENTO DO SAPUCAI
SAO BERNARDO DO CAMPO
SAO JOSE DO BARREIRO
SÃO CAETANO DO SUL
SAO JOSE DOS CAMPOS
SAO LUIS DO PARAITINGA
SAO SEBASTIAO
SAO VICENTE
SILVEIRAS
TAUBATE
TREMEMBE
UBATUBA

Categorias

Arquivos

Notícias do site antigo

ACESSE TODAS AS NOTÍCIAS

Tags

Eventos

ACESSE A AGENDA COMPLETA